Início Viagens 30 aldeias que o vão fazer apaixonar-se por Portugal

30 aldeias que o vão fazer apaixonar-se por Portugal

São rústicas, típicas, pitorescas, genuínas, de pedra ou de cal, de montanha ou de planície. Descubra 30 aldeias que são autênticas Maravilhas de Portugal.

1

16. Montesinho

Montesinho é uma aldeia típica transmontana, situada nos contrafortes da Serra de Montesinho, a cerca de 1000 metros de altitude, em pleno Parque Natural de Montesinho. Deixe que a serenidade desta aldeia o seduza e passe uns dias instalado numa das casas adaptadas para turismo, em granito, com telhados em lousa e varandas em madeira, abertas para a serra!

locais para visitar no Parque Natural de Montesinho
Montesinho

Caminhe pelas ruas da aldeia, calcetadas e bem cuidadas, e descubra a Igreja de Montesinho, o Núcleo Interpretativo de Montesinho e o Museu instalado numa casa típica transmontana, onde poderá conhecer a caracterização geológica de Montesinho e os modos de vida tradicionais desta “aldeia preservada”.

 

17. Rio de Onor

Incluída no perímetro do Parque Natural de Montesinho é, sem dúvida, a mais emblemática aldeia da extremidade nordestina do concelho. Está delimitada pela vizinha Espanha nos flancos norte e nascente, tendo as congéneres Aveleda e Deilão a confrontar de poente e sul. Rio de Onor é um caso emblemático, reforçado pela sua posição fronteiriça, com a homónima espanhola, – Rihonor de Castilla.

Rio de Onor - Bragança
Rio de Onor – Bragança

As populações de ambos os lados vivem essencialmente da agricultura e da pastorícia, onde o sistema comunitário de base ainda se mantém nalguns aspectos do quotidiano da população, sob a forma de posse colectiva de alguns bens,- os campos, os moinhos, os rebanhos -, e pelo modo de administração rural, levada a cabo por dois mordomos, designados pelo conselho, assembleia que reúne representantes de todas as famílias, os vizinhos – actualmente em esquema de rotação cíclica, de modo a que todos possam exercer as funções. Em Rio de Onor as suas gentes utilizam um dialecto muito próprio (o rionorês), com memória e orgulho do seu passado e vaidade nas suas tradições.

 

18. Santa Susana

Com arquitectura tipicamente alentejana, a aldeia de Santa Susana destaca-se pela presença de casinhas de rés-do-chão, todas caiadas de branco com barra azul e grandes chaminés. Localizada entre duas ribeiras, afluentes da margem direita da ribeira de Alcáçovas, está distanciada da sede do concelho por 15 km.

Santa Susana
Santa Susana

Santa Susana chama a atenção devido às suas casas de contornos iguais e molduras de azul forte. Parece uma antiga vila de arquitectura rural, mas que estas ruas geométricas e as casas iguais não são um acaso.

 

19. São Cristóvão

A meio caminho entre Montemor e Alcácer do Sal, São Cristóvão é uma aldeia no mar da planície a caminho das praias.

São Cristóvão
São Cristóvão

O nascimento desta aldeia tem a sua origem intimamente ligada a uma lenda, na qual atribuírem a São Cristóvão a graça da escolha do local da igreja, pelo que o povo escolheu este santo como seu padroeiro e símbolo unificador da sua fé. O estreito vale da ribeira de S. Cristóvão alberga vários “monumentos” de arquitectura natural.

 

20. Porto Covo

Inserida no privilegiado Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, a pacata aldeia de Porto Covo, conseguiu ao longo dos anos, preservar toda a traça tradicional que lhe confere tamanha beleza.

Porto Covo
Porto Covo

Apesar de cada vez mais procurada e hoje em dia com mais oferta de alojamento e comércio, as suas ruas ofuscam o visitante com as suas casas caiadas de um branco irrepreensível.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here