Início Viagens 15 óptimos locais grátis para visitar em Lisboa

15 óptimos locais grátis para visitar em Lisboa

Passear por Lisboa não tem necessariamente que ser caro. Há muitos sítios grátis para passear. Descubra 15 óptimos locais grátis para visitar em Lisboa.

491663
6

11. Largo do Carmo

O Largo do Carmo é actualmente um lugar calmo e tranquilo mas a sua história evoca outros momentos mais agitados na história de Portugal. Os edifícios pombalinos e o chafariz do séc. XVIII, a meio da praça, são os sinais da reconstrução do local, depois da destruição provocada pelo terramoto de 1755, embora o vestígio mais evidente seja as ruínas do Convento do Carmo, que acabou por não ser totalmente recuperado.

Lisboa
Lisboa

Uma das partes do convento está ocupado pelo quartel da Guarda Nacional Republicana. Foi aqui que teve lugar um dos episódios mais significativos da Revolução dos Cravos, em 1974. No dia 25 de Abril, o primeiro-ministro do governo que esteve no poder durante 48 anos, Marcello Caetano, refugiou-se no quartel. Na praça, estava uma companhia das Forças Armadas que conduziram o movimento e milhares de cidadãos que incentivavam o desenrolar dos acontecimentos. Acabaram por tomar o quartel com sucesso, dirigidos pelo capitão Salgueiro Maia.

 

12. Miradouro de Santa Catarina

O miradouro de Santa Catarina, também conhecido como o Adamastor, situa-se no alto de Santa Catarina (numa rua paralela acima do elevador da Bica). A designação de Adamastor advém de aqui se encontrar uma estátua de um gigante de disforme e grandíssima estatura, rosto carregado, barba esquálida e olhos encovados, segundo a descrição d’Os Lusíadas de Luís Vaz de Camões.

locais grátis para visitar em Lisboa
Miradouro de Santa Catarina

Este miradouro foi construído em 1883, tendo sofrido alterações em 2013 e apresenta-se agora num ambiente renovado, com vários bancos em mármore, que convidam à contemplação da paisagem ribeirinha do Tejo.

 

13. Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian

Os jardins Calouste Gulbenkian circundam a Fundação do mesmo nome e dispõe de salas de espectáculos e áreas de exposições, Centro de Arte Moderna, Museu com biblioteca e restaurante/bar. Os jardins foram construídos nos anos 50 em homenagem ao seu fundador – Calouste Gulbenkian – e constituem um amplo espaço de lazer e cultura, com um desenho paisagístico caracterizado por jardins suspensos e uma flora diversificada.

Jardim da Fundação Gulbenkian – Lisboa
Jardim da Fundação Gulbenkian – Lisboa

A concepção do Parque, jardins interiores e terraços ajardinados foi confiada aos arquitectos paisagistas Gonçalo Ribeiro Teles e António Viana Barreto os quais trabalharam em estreita colaboração com os arquitectos do complexo de edifícios da Fundação, Alberto Pessoa, Pedro Cid e Ruy Athouguia.

 

14. Igreja de São Vicente de Fora

Foi neste lugar que D. Afonso Henriques mandou fundar um Mosteiro em 1147, entregando-o aos cónegos regrantes de Santo Agostinho. Dedicou-a a São Vicente, a quem fez um voto se ganhasse a conquista de Lisboa aos Mouros. No entanto, o monumento que vemos actualmente começou a ser construído em 1582, sendo emblemático do período em que Portugal foi regido pelo Rei Filipe II de Espanha e I de Portugal.

locais grátis para visitar em Lisboa
Igreja de São Vicente de Fora

No interior do Mosteiro, merece atenção a decoração barroca. O revestimento azulejar é de assinalar, em particular no claustro onde estão representadas as Fábulas de La Fontaine, assim como a talha dourada, com uma atenção especial para o baldaquino sobre o altar-mor, da autoria do reconhecido escultor do séc. XVIII Machado de Castro.

 

15. Museu da Electricidade 

Marco arquitectónico da cidade de Lisboa e detentor de uma fachada de inegável beleza, o edifício da Central Tejo foi um verdadeiro pioneiro no seu tempo no domínio da produção de electricidade. Hoje, e passado quase um século desde a sua construção, a Central assume, de novo, aspectos inovadores e de grande protagonismo enquanto Museu da Electricidade.

Museu da Eletricidade
Museu da Electricidade

O núcleo principal da exposição permanente é a própria Central, ou seja, todo o conjunto de equipamentos que faziam parte da instalação da antiga unidade de produção e que, felizmente, se encontram ainda hoje com uma integridade assinalável. A exposição procura transmitir aos visitantes uma noção clara do funcionamento desta antiga central termoeléctrica de Lisboa, desde a identificação dos seus diversos componentes até à explicação do seu funcionamento.

6 COMENTÁRIOS

  1. […] Local de eleição para as trocas comerciais com antigos povos mercadores e navegadores, a longa história de Lisboa começa na Alis-Ubbo fenícia, para se transformar, no séc. II, na romana Felicita Julia Olisipo, na Aschbouna árabe a partir do séc. VIII, em cidade portuguesa no ano de 1147, quando foi conquistada por D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal, e finalmente na capital do país, em 1255. A pé pelos bairros típicos, de eléctrico pelas zonas antigas, subindo ou descendo as colinas em elevadores seculares, de barco num passeio pelo Tejo, ou mesmo de metropolitano, verdadeiro museu subterrâneo de arte contemporânea portuguesa, todos os meios são bons para descobrir a diversidade cultural de grande interesse que Lisboa oferece. […]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here