Início Viagens 15 óptimos locais grátis para visitar em Lisboa

15 óptimos locais grátis para visitar em Lisboa

Passear por Lisboa não tem necessariamente que ser caro. Há muitos sítios grátis para passear. Descubra 15 óptimos locais grátis para visitar em Lisboa.

491688
6
locais grátis para visitar em Lisboa
Lisboa

Nem sempre temos que pagar para desfrutar de um belo dia a passear em Lisboa. Se está à procura de locais gratuitos para visitar na capital de Portugal, saiba que as suas opções são variadas e um só dia não vai chegar para visitar todos os sítios. Lisboa possui imensos e belos jardins, monumentos, fantásticos miradouros e bairros históricos que pode visitar sem pagar. A maioria destes lugares são óptimos para um passeio em família, por exemplo, já que são sítios ao ar livre onde pode desfrutar da alma de Lisboa. Faça os seus planos connosco e descubra 15 óptimos locais grátis para visitar em Lisboa.

 

1. Jardins da Torre de Belém

No local deste jardim funcionou até meados do séc. XX a “Fábrica do Gás de Belém”. O reordenamento desta zona com plantação de palmeiras, símbolo das novas terras descobertas pelos navegadores portugueses, verificou-se por altura da “Exposição do Mundo Português” (1940), ficando a Torre de Belém, um dos ex-líbris de Lisboa, valorizada por um amplo espaço fronteiro ajardinado, que permite total visibilidade sobre o monumento.

locais grátis para visitar em Lisboa
Torre de Belém – messagez

No jardim encontramos um monumento em homenagem a Gago Coutinho e Sacadura Cabral, pela 1ª travessia do Oceano Atlântico em hidroplano e monumento em homenagem aos Combatentes Mortos no Ultramar. Nas proximidades encontra-se a Doca do Bom Sucesso.

 

2. Alfama

Alfama é um dos bairros mais genuínos de Lisboa, a sua arquitectura apresenta características peculiares de prédios antigos e coloridos que lhe conferem um carácter de alegria, tranquilidade e uma personalidade tipicamente lisboeta. Passear pelo bairro de Alfama é um convite para perder-se entre ruelas extremamente encantadoras. Fácil de se perder, mais fácil ainda de se encontrar!

Alfama
Alfama

Alfama é um dos bairros mais antigos de Lisboa e foi fundado pelos árabes que lhe deram o nome “Al-hama”, que significa ‘fonte de águas quentes, águas boas’. Não se vive uma experiência genuína em Lisboa sem se perder entre os becos, cantos e encantos do bairro que é considerado o coração da cidade. Ao andar pelas ruelas desordenadas e estreitas de Alfama, vai sentir-se numa pequena aldeia dentro da cidade e presenciar conversas entre vizinhos, ouvir o fado que ecoa pelas escadarias e ainda ver o Tejo numa outra dimensão.

 

3. Miradouro de São Pedro de Alcântara

Todos os miradouros de Lisboa são românticos, mas este é o mais romântico de todos. É um terraço ajardinado com bustos de figuras históricas, de onde se tem uma vista do castelo, da Baixa e do Tejo. Tem ainda uma fonte e esplanadas de quiosques, de onde se pode admirar toda a beleza da cidade alfacinha.

locais grátis para visitar em Lisboa
Miradouro de São Pedro de Alcantâra

Ao lado do terraço encontra-se o Elevador da Glória a subir e a descer a colina num vaivém melodioso e constante, enquanto num dos edifícios em frente situa-se o Solar do Vinho do Porto, onde se pode provar todos os tipos do vinho mais famoso de Portugal.

 

4. Baixa Pombalina

No dia 1 de Novembro de 1755 um violento terramoto, seguido de incêndio destruiu o centro de Lisboa. Paço real, a Casa da Índia, palácios da aristocracia, a nova Casa da Ópera que se construía então, obras de arte e tesouros reais, perderam-se irremediavelmente.

locais grátis para visitar em Lisboa
Baixa Pombalina

Das ruínas da Lisboa medieval, renasceu esta zona redesenhada numa escala moderna e funcional, que ficou ligada à vontade e ao pragmatismo do poderoso Ministro de D. José I, Marquês de Pombal, que rapidamente mandou implementar um projecto de reconstrução desenhado por Carlos Mardel e Eugénio dos Santos. Após o cataclismo destruidor era primeira prioridade realojar as pessoas, reatar a vida mercantil e para isso era necessário reconstruir rapidamente.

 

5. Mouraria

Foi nesta zona que os Mouros foram viver depois da conquista de Lisboa em 1147 até serem expulsos no séc. XV. Ficaram poucos vestígios dessa época, mas curiosamente é ainda hoje o bairro mais multicultural da cidade – 56 nacionalidades vivem neste bairro, sendo a maioria do Bangladesh, China, India, Paquistão e Moçambique. Não é por acaso que encontramos aqui algumas das melhores lojas de produtos alimentares orientais, onde até os grandes chef’s se vêm abastecer.

Mouraria
Mouraria

No entanto, a Mouraria é um bairro tipicamente lisboeta, onde vivia a Severa, a primeira grande fadista do séc. XIX, assim como outros grandes nomes do fado. Uma zona muito fechada em si mesma e onde toda a gente se conhece, um verdadeiro bairro típico nesta colina do castelo com estreitas ruas e vielas. Por esta razão tinha sido um bairro esquecido até há cerca de dois anos, altura em que se iniciou um movimento de recuperação e requalificação da zona. A Mouraria é agora uma zona bonita dadas as obras de recuperação nas principais ruas, e um dos bairros lisboetas que está mais na moda.

6 COMENTÁRIOS

  1. […] Local de eleição para as trocas comerciais com antigos povos mercadores e navegadores, a longa história de Lisboa começa na Alis-Ubbo fenícia, para se transformar, no séc. II, na romana Felicita Julia Olisipo, na Aschbouna árabe a partir do séc. VIII, em cidade portuguesa no ano de 1147, quando foi conquistada por D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal, e finalmente na capital do país, em 1255. A pé pelos bairros típicos, de eléctrico pelas zonas antigas, subindo ou descendo as colinas em elevadores seculares, de barco num passeio pelo Tejo, ou mesmo de metropolitano, verdadeiro museu subterrâneo de arte contemporânea portuguesa, todos os meios são bons para descobrir a diversidade cultural de grande interesse que Lisboa oferece. […]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here