Início Viagens 15 fantásticos locais para visitar no distrito de Castelo Branco

15 fantásticos locais para visitar no distrito de Castelo Branco

Localizado no interior centro de Portugal, tem muito para desvendar e descobrir. Estes são os melhores sítios para visitar no distrito de Castelo Branco.

10611
1

6. Penha Garcia

Penha Garcia é mais um dos locais dignos de um postal ilustrado. A beleza única da sua paisagem quase que dispensa palavras, não fosse realmente importante sublinhar essa mesma beleza para aqueles que ainda não conhecem Penha Garcia. As lindíssimas casas típicas, protegidas pelas imponentes muralhas, convidam o visitante a percursos por becos e ruelas sinuosas que nos levam ao cimo do castelo que nos permite vislumbrar uma magnifica paisagem sobre o vale onde corre o Rio Pônsul, acompanhado pelos seus moinhos.

Penha Garcia
Penha Garcia

O visitante mais ávido de aventura e de espírito mais explorador, encontra aqui a Rota dos Fósseis, um percurso de cerca de uma hora e meia, que nos leva do cimo do Castelo até à barragem de Penha Garcia. Ao acompanhar as margens refrescantes do Rio Pônsul, pode sim ver de perto as casas tradicionais, o seu interior, os moinhos de água e ainda a chamada casa dos fósseis a meio do percurso. Penha Garcia impressiona à distância pela sua posição. As suas origens perdem-se no tempo.

 

7. Castelo Novo

À semelhança de muitas outras povoações da raia beirã, Castelo Novo cresceu à sombra e em torno das suas muralhas, com ruas estreitas, que serpenteiam por entre a encosta até à torre de menagem. Em plena alma da Serra da Gardunha, numa paisagem em anfiteatro natural, em tons de verde e cinza, aquecidas pelo sol, descobrimos Castelo Novo, aldeia histórica de Portugal, envolta numa aura de misticismo e transcendência.

Castelo Novo
Castelo Novo (Nuno Madaleno)

Aqui, sentimos algo de fascinante, que nos envolve e harmoniza. Tudo nos inspira… tudo nos cativa…. Desde os sons das águas que brotam das fontes, ao granito perpetuado que ergue a aldeia, e talha o casario, os templos, as calçadas, as praças… Caminhar por esta aldeia histórica é provar contrastes de cores, sabores e texturas e quando achamos que já descobrimos tudo… No alto o imponente castelo, que guarda há mais de 800 anos história e segredos. Uma herança templária defendida por corajosas muralhas.

 

8. Unhais da Serra

Unhais da Serra, chamada por uns “A Pérola da Beira” por outros a “Sintra da Covilhã”, a 23 Km da sua sede de concelho, encontra-se situada num vale cavado nos granitos da Estrela por glaciares, inicia-se no planalto da Torre aos 1991 metros de altitude, vendo o seu desfecho a uma altitude de 500 metros no lugar das Taliscas.

Praia Fluvial de Unhais da Serra
Praia Fluvial de Unhais da Serra

O seu povoamento, embora a documentação não seja abundante, remonta a épocas proto e pré-históricas. Procedendo ao aproveitamento das alcantiladas penedias que envolvem o melhor da freguesia – o seu fértil vale, as mais antigas populações aqui terão construído um primitivo castro, o qual certamente terá sido romanizado. Escondida entre as grandes dobras da Serra da Estrela, seria natural que aqui se conservasse sempre população. Um vale fértil, onde se encontram variadas nascentes de águas termais, favorecendo a comodidade fixacional, viria a ser explorado aquando da chegada da civilização romana à Península Ibérica.

 

9. Portas de Ródão

As Portas de Ródão constituem uma ocorrência geológica e geomorfológica localizada nas duas margens do rio Tejo, nos concelhos de Vila Velha de Ródão e de Nisa. Este conjunto natural sobressai pela imponente garganta escavada pelo rio nas cristas quartzíticas da serra do Perdigão, com um estrangulamento de 45 metros de largura.

Portas de Ródão
Portas de Ródão

Esta área caracteriza-se pela existência de um relevante património natural, onde se destaca o geossítio das Portas de Ródão entre outros valores geológicos, biológicos e paisagísticos. Este geossítio evidencia particularidades geológicas, geomorfológicas e paleontológicas. A estas, associam-se as formações vegetais naturais, onde se destacam os zimbrais, a avifauna rupícola e o património arqueológico, testemunho de uma presença humana com centenas de milhares de anos.

 

10. Alpedrinha

Situada na encosta sul da Serra da Gardunha e protegida dos ventos do Inverno, em Alpedrinha o ar é duma total limpidez. Os romanos chamavam-lhe Petratinia e talvez tenha desaparecido com eles o mistério de um túnel que começa numa das ruas de Alpedrinha e acaba ninguém sabe onde, pois a sua escavação poderia pôr as casas em perigo.

Alpedrinha
Alpedrinha

Apesar de ter sido devassada durante as invasões napoleónicas, Alpedrinha conserva exemplares antigos de arquitectura nobre e popular nas suas pitorescas ruas, entre jardins e pomares. Casas populares com varandas de madeira decoradas com vasos de sardinheiras e escadinhas com alpendre, o grande Chafariz Real, barroco, que recorda D. João V, a harmoniosa igreja da Misericórdia, a fachada palatina da Casa da Comenda, de fundação muito antiga, a capela do Leão cujo decoração do pórtico se atribui ao escultor Nicolau de Chanterenne e outras edificações exemplares dos sécs. XVII e XVIII, são motivos que não deixarão de encantar quem passa por esta povoação.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here