Início Viagens 15 fantásticos locais para visitar no distrito de Braga

15 fantásticos locais para visitar no distrito de Braga

Das praias de Esposende às cascatas do Gerês, do Bom Jesus ao Sameiro: estes são os melhores sítios para visitar no distrito de Braga.

6915
0
braga
Santuário do Bom Jesus

O que visitar no distrito de Braga? O distrito de Braga é considerado como sendo um dos mais jovens de toda a Europa no que diz respeito à faixa etária da população. É, por isso mesmo, uma região animada e dinâmica. Um dos principais motivos para atrair os turistas para esta região é a sua riqueza em tradições populares, não fosse Braga o coração do Minho, uma das regiões mais típicas e genuínas de Portugal.

No distrito de Braga, as grandes atracções turísticas são a capital de distrito, Braga, mas também Guimarães, o berço da nacionalidade e o Parque Nacional Peneda Gerês (parte dele integra este distrito, especialmente no concelho de Terras do Bouro. Além disso, podemos ainda contar com as fantásticas praias da região de Esposende. Estes são os melhores locais para visitar no distrito de Braga.

 

1. Braga

Braga é uma cidade, sede de concelho e distrito, das mais antigas e bonitas de Portugal, sendo igualmente uma das cidades cristãs mais antigas de todo o mundo, e um dos mais importantes centros religiosos do País. Baptizada pelos Romanos de Bracara Augusta, sendo na altura a maior cidade em território hoje Português, é igualmente conhecida hoje em dia pela “Cidade dos Arcebispos” ou mesmo pela “Roma Portuguesa”. Património Religioso no virar de cada esquina, nas ruas históricas de Braga testemunha-se o fervor religioso ao longo dos séculos, traduzido em bonitos monumentos que tanto a enriquecem, com destaque para a Sé de Braga, a mais antiga do País. Braga foi igualmente apelidada de “Cidade Barroca” pela sua riqueza patrimonial, de tantos edifícios decorados no século XVIII, que a transformaram num dos mais importantes pólos artísticos do País na época.

Braga
Braga

A não perder são os Santuários que circundam a cidade e a povoam de fiéis e peregrinos. São eles O Santuário do Bom Jesus, do Sameiro e da Falperra, visitas obrigatórias nesta região Bracarense. Belos e elaborados jardins, elegantes casas senhoriais e palacetes e todo este legado barroco conferem a Braga uma imagem única, característica da região Minhota. O Verde governa a paisagem circundante, com o Parque Nacional da Peneda-Gerês mesmo no seu encalce. Braga é igualmente considerada uma das cidades com maior índice de população jovem do País, conferindo-lhe uma animação muito própria e única, ao que muito ajudam as Universidades aqui existentes.

 

2. Guimarães

É uma cidade histórica, com um papel crucial na formação de Portugal, e que conta já com mais de um milénio desde a sua formação, altura em que era designada como Vimaranes. Guimarães é uma das mais importantes cidades históricas do país, sendo o seu centro histórico considerado Património Cultural da Humanidade, tornando-a definitivamente um dos maiores centros turísticos da região.

Guimarães
Guimarães

As suas ruas e monumentos respiram história e encantam quem a visita. Guimarães é muitas vezes designada como “Cidade Berço”, devido ao facto aí ter sido estabelecido o centro administrativo do Condado Portucalense por D. Henrique e por seu filho D. Afonso Henriques poder ter nascido nesta cidade e fundamentalmente pela importância histórica que a Batalha de São Mamede, travada na periferia da cidade em 24 de Junho de 1128, teve para a formação da nacionalidade.

 

3. Adaúfe

Localizada em Ribeira, a cerca de 15 minutos de Braga, encontra-se a Praia Fluvial de Adaúfe, uma pequena praia fluvial com uma ampla zona de relvado em redor, onde se podem apanhar belos banhos de sol, fazer piqueniques e churrascadas e praticar alguns desportos. À parte da possível diversão, a Praia Fluvial de Adaúfe é a única do Concelho de Braga que recebeu a certificação da Administração da Região Hidrográfica do Norte. A Junta de Freguesia procedeu, de facto, a alguns melhoramentos nomeadamente nos trilhos pedonais, onde decidiu colocar areia, para uma melhor circulação dos utentes, bem como mandou colocar um novo cartaz onde estão citadas todas as proibições na Praia Fluvial de Adaúfe, incluindo novas placas informativas e com rectificações da prancha de saltos.

Praia Fluvial de Adaúfe
Praia Fluvial de Adaúfe

Para que a diversão na Praia Fluvial de Adaúfe não fique comprometida, a Junta de freguesia colocou algumas proibições, como a entrada de animais, fogueiras, acampamentos, motociclos, lixo no chão, pescar na praia fluvial e barcos a motor. A Praia Fluvial de Adaúfe é uma pequena mas lindíssima praia situada junto ao Rio Cávado. A diversão na Praia Fluvial de Adaúfe é vigiada durante a época balnear e goza de uma zona com um amplo relvado para piqueniques.

 

4. Barcelos

Barcelos é uma bonita cidade do Norte do País, sede de um grande município, banhada pelo rio Cávado, bem no coração da região Minhota, muito famosa pelos seus produtos artesanais, mormente de olaria e cerâmica, com o famoso Galo de Barcelos, já transformado em símbolo nacional. Terra de rica história e fortes tradições é, também, dona de um património fenomenal, como é visível mal se chega à cidade através da sua Ponte do século XIV, ou na sua Igreja Matriz (século XIII), na Torre de Menagem (século XV), no românico/gótico Pelourinho, nas Igrejas de Nossa Senhora do Terço, da Misericórdia e do Bom Jesus da Cruz ou mesmo nas ruínas do Paço dos Duques de Bragança ou dos Condes de Barcelos onde está instalado o Museu Arqueológico.

Barcelos
Barcelos

Célebre pela sua olaria, não faltam em Barcelos lojas de artesanato com autênticas obras de arte, e a muito afamada Feira semanal, realizada no antigo Largo da Feira e com origens no século XV, onde se vende de tudo um pouco. A não perder é a Festa das Cruzes, anualmente em inícios de Maio, realizada já desde o século XVIII. Bem interessante em Barcelos é o Museu de Olaria e o Centro de Artesanato.

 

5. Cascata do Arado

A Cascata do Arado está situada em pleno coração do Parque Nacional Peneda-Gerês. É uma das maiores e mais famosas quedas de água do Parque. Localizada no Rio Arado, perto da aldeia da Ermida e do Miradouro Pedra Bela, o acesso é feito por uma estrada florestal, de areia, rodeada de vegetação abundante. Pelo menos no Verão, não é muita a água a correr no rio, mas há sempre alguém a experimentar um banho de água fresca e cristalina do rio. Situada a uma altitude de cerca de 900 metros, cria uma sucessão de cascatas únicas por entre as rochas.

Cascata do Arado
Cascata do Arado – Carina Gomes

Do lado direito do rio (olhando a norte), existem uma série de degraus que nos levam a um pequeno miradouro no topo para contemplar a cascata por entre toda a vegetação. É um bom local para observar a queda de água mas que pode ser dificultada em meses de vegetação densa, mas é o acesso mais fácil e rápido. O acesso à base da Cascata do Arado pode ser feito através desse miradouro, mas é um acesso bastante perigoso e íngreme, que só mesmo os mais aventureiros, mas cuidadosos, descem. O melhor acesso é pela ponte, junto ao local onde se deixa o carro, e é possível chegar à base da cascata por entre pedras fugindo às pequenas poças de água que se vão formando.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here