Início Viagens 15 locais de visita obrigatória no Gerês

15 locais de visita obrigatória no Gerês

É um dos maiores santuário da vida natural de Portugal e está repleto de encantos por descobrir. Conheça 15 locais de visita obrigatória no Gerês.

1514885
18

10. Mosteiro de Pitões

Mosteiro de Pitões das Júnias ou de Santa Maria de Júnias, não tem data definida para a sua fundação, mas presume-se que se situe no final do século IX, quando eremitas se estabeleceram nesta região, vindo depois a organizarem-se em comunidades. Por outro lado, face a uma inscrição, pouco clara, existente num muro destas ruínas, faz supor a alguns estudiosos que a data da fundação do mosteiro seja 1147, mas já existia com certeza em 1247, quando o Papa Inocêncio IV, intima o mosteiro a filiar-se na ordem cisterciense, passando a depender do Mosteiro de Santa Maria do Bouro.

Mosteiro de Pitões das Júnias

Durante a Guerra da Restauração da independência portuguesa, depois de 1640, um ataque do exército espanhol à aldeia de Pitões, terminou com um incêndio que deixou o mosteiro em ruínas, com excepção da igreja. O convento viria a ser recuperado e já no século XVIII, há informação que dá conta de obras importantes na zona conventual, todavia com a extinção das ordens religiosas, em 1834, o convento é abandonado e alguns anos depois deflagra um incêndio que apenas deixa a igreja de pé. Deste pequeno convento, restam as paredes dos principais compartimentos a algumas arcadas do claustro, a igreja tem ainda o telhado, mas apresenta um aspecto de abandono, apesar de já terem sido feitas obras pela Direcção Geral de Edifícios e Monumentos Nacionais.

 

11. Geira Romana

Geira é o nome pela qual é conhecida a via de comunicação, construída pelo império romano, na dinastia dos flávios, que ligava Braga a Astorga e que passa no concelho de Terras de Bouro numa extensão de cerca de 30 km (milhas XIV e XXXIV). A construção destas vias era de extrema importância para o império romano, pois, para além dos variados usos para que serviam, o mais importante era, sem dúvida, a passagem dos seus exércitos, numa altura em que as conquistas eram de importância máxima para o crescimento e manutenção do império.

Geira Romana
Geira Romana

Estas vias, cujo traçado era muitíssimo bem estruturado, não tinham descidas/ subidas acentuadas e o seu uso foi mantido muito para além da queda do império romano, tendo sido integrados nos caminhos de Santiago e percorrida por milhares de romeiros e utilizada até cerca do início do séc. XX. Assinalamos a existência de um magnífico espólio de marcos miliários na Geira, distribuídos ao longo da via. Estes marcos miliários serviam para indicar a distância, em milhas, à capital da província, mas também para homenagearem os imperadores romanos.

 

12. Vilarinho das Furnas

A aldeia de Vilarinho das Furnas, situada na freguesia de São João do Campo, no concelho de Terras de Bouro, no Minho, deixou de existir em 1970 devido à subida das águas do Rio Homem provocada pela construção de uma barragem no local. As origens de Vilarinho das Furnas poderão remontar, segundo algumas versões, a perto do ano 75, quando foi construída a estrada Geira, um caminho romano que unia Braga a Astorga, de onde havia ligação para Roma.

Vilarinho das Furnas

Segundo uma das lendas, sete trabalhadores fixaram-se em Portela do Campo. No entanto, quatro desses homens mudaram-se para um local junto à margem direita do Rio Homem. Terá assim nascido a povoação de Vilarinho das Furnas. Embora não seja possível confirmar a origem romana, há pelo menos provas da passagem e instalação de romanos no local. Nas imediações há três pontes de origem romana, assim como duas vias calcetadas que, pelo lado sul, davam acesso ao local.

18 COMENTÁRIOS

  1. Boa tarde,

    Vi a vossa reportagem sobre o Gerês e os locais importantes a visitar ou a não perder como dizem.
    É sempre muito bom quando se fala em regiões do interior do país e falam bem delas e mais ainda da magnifica Serra do Gerês, o Pulmão de Portugal.
    Mas nem tudo é positivo, por exemplo: o santuário de São Bento da Porta Aberta não fica na aldeia de rio Caldo mas sim na aldeia da Seara, freguesia de Rio Caldo, penso que são coisas bem diferentes; uma outra coisa é a questão dos outros locais, quando se fala no Gerês é bom saber no que se está a falar, se é na Serra do Gerês, se na Vila do Gerês ou se é no Parque Nacional da Peneda Gerês;
    uma outra questão, a cascata do Arado não fica a 900 metros de altitude mas bem menos.
    Não queria ser muito exigente com outras questões, mas já agora fica um pouco feio usar fotografias irrealistas com a alteração que lhe foram introduzidas.

    Os melhores Cumprimentos

    Sérgio Gonçalves

    wwww.insidegeres.blogspot.com

    • Amigo, na época em que vivemos, não interessam esses detalhes. O que interessa são os likes no instagram das fotos todas cheias de efeitos e hashtags da moda 😉
      Agora fora de brincadeiras, ainda bem que há alguém que aponte o dedo a este fraco jornalismo de hoje em dia.

      Um bem haja,
      Bernardo Pizarro

  2. Boa tarde,não admira que muitas pessoas que viajam por Arcos de Valdevez, Ponte da Barca e Melaço julguem estar no Gerês, poi não é devido á sua falta de cultura mas sim devido à má informação que dispõem em varios sites da internet.
    Este é mais um desses sites pois se vocês se querem rererir ao que mostram nas imagens, deveria dizer que estes locais pertencem ao Parque Nacional Peneda Gerês, a não ser que se queiram referir apenas ao Gerês, que sendo assim acho muito mal usarem imagens de locais que nao pertencem ao Gerês mas sim ao Parque Nacional Penada Gerês.
    Não sei se é falta de cultura ou de informação, mas sei que o Gerês continua a ser mais conhecida que os outros locais devido à ma informação fornecida por vós e nao só.

  3. Gerês?????
    Peneda…Castro Laboreiro… Melgaço, Ponte da Barca e Arcos de Valdevez são Gerês?
    O Parque Nacional que tem o sub-nome de Peneda-Gerês incliu vários municípios e Serras que ficam no território compreendido entre a Serra da Peneda e a do Gerês… Chamar Gerês a todo esse território é como chamar Almada ao Porto. Se não sabe de Geografia limite-se a designação Geral: Parque NAcional!

  4. O Geres é enorme. Gostei de Brufe , das casas em pedra, e do Soajo. Também saber das divergências quanto a uma raça canina que chamam de Castro Laboreiro e afinal, o bicho é de Soajo e chamam-lhe de Sabujo.

  5. Quando se fala em Gerês, engloba tudo: Vila do Gerês, Serra do Gerês e Peneda do Gerês. E os pormenores não fazem diferença alguma. A malta quer é desfrutar da linda paisagem do gerês, da serra à peneda tudo é gerês.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here