Início Viagens As 10 estradas mais bonitas de Portugal para passear de carro

As 10 estradas mais bonitas de Portugal para passear de carro

As 10 estradas mais bonitas de Portugal. De braço de fora, cabelos ao vento e com um país a passar na janela do seu carro. Faça-se à estrada!

146517
8

Sozinho, com os amigos ou a família, com a namorada, com o namorado, com o cão ou o periquito. De moto ou de descapotável, de chaço ou de autocaravana. A dormir em parques de campismo, pensões de 20 euros, no carro, ou em hotéis de luxo e turismos de habitação. A comer do bom e do melhor ou enlatados de atum com picadinho de cebola. Tanto faz. O que importa é que se faça à estrada. Tem um país inteiro para descobrir. Mede 700 quilómetros de altura e cerca de 250 km de largura, mas dentro dele há um mundo de aventuras. Portugal, um país que não se mede aos palmos. Um país para ver como nunca ou viu em dez grandes road trips para a sua bucket list.

Porque a vida é mais do que pagar contas e depois morrer. Descubra as 10 estradas mais bonitas de Portugal para passear de carro.

 

10 – Tejo, por esse rio acima até Espanha

Portas de Ródão
Portas de Ródão

Seguir um rio é sempre um bom pretexto para uma viagem de estrada. E quando se trata de seguir o rio Tejo, o maior rio ibérico, a viagem é garantidamente histórica e repleta de motivos de interesse. É uma jornada que se pode fazer em dois dias, mas como todas as outras, pode e deve demorar mais tempo, se for parando e se aventurar nalguns desvios.

Desde Lisboa, recomendo que inicie a viagem pela margem sul até à região do médio Tejo. A partir de Constância pode ir ziguezagueando entre a margem norte e sul e visitar terras como Abrantes, Belver, Alvega ou Vila Velha de Ródão. A partir daí entra no território do Parque do Tejo Internacional e a viagem torna-se muito interessante. É uma região remota e desabitada onde o rio apenas se pressente na paisagem e na vida pacata de aldeias como Malpica do Tejo ou Rosmaninhal. Depois ou diz adiós ao Tejo, ou continua a segui-lo por Espanha, onde corre mais 700 km até à sua nascente na Serra de Albarracin.

Duração: 3 dias

Distância: 260 km aprox.

Percurso recomendado: Lisboa – Alcochete – Santarém – Alpiarça – Chamusca – Constância – Abrantes – Gavião – Fratel – Alvega – Belver – Vila Velha de Rodão – Malpica do Tejo – Rosmaninhal

 

9 – Douro faina fluvial

Estrada Nacional 222
Estrada Nacional 222

Uma road trip clássica que deve ser feita acompanhando o curso do rio Douro desde que entra em Portugal até que vai desaguar à Foz, no Porto. Pelo caminho temos o Parque Natural do Douro Internacional e os arrepiantes canhões do rio, depois o coração do Douro vinhateiro, ladeado por belas e cénicas estradas desde o Pinhão até ao Peso da Régua. A partir daí pode ir variando entre a margem Norte e Sul do rio até “desaguar” no majestoso cenário da foz do Douro com o Porto a brilhar como um postal visto de Gaia.

Duração: 3 dias

Distância: 280 km aprox.

Percurso recomendado: Salto de Castro – Miranda do Douro – Freixo de Espada à Cinta – Barca D`Alva – S. João da Pesqueira – Pinhão – Peso da Régua – Resende – Cinfães – Porto

 

8 – A grande rota da raia, do Tejo ao Douro por terras de contrabandistas

locais para visitar no interior de Portugal
Monsanto

De Espanha nem bom vento, nem bom casamento, mas pelo menos dois grandes rios e uma fronteira desenhada e defendida ao longo dos séculos. Desta vez a proposta é ligar o Tejo ao Douro pela raia, ou seja, pela fronteira com Espanha.

De Segura, porta de entrada do Tejo Internacional, segue-se colado à fronteira pelas Termas de Monfortinho, até às aldeias históricas de Monsanto e Penha Garcia, para depois atravessar a Serra da Malcata (terra do lince). Para os amantes dos castelos e de histórias de templários e escaramuças com os castelhanos esta é uma road trip indispensável, que nos leva às terras altas da Beira, com aldeias históricas como Almeida ou Castelo Rodrigo, até ir de encontro ao Douro na bela Barca D`Alva. As paisagens ao longo desta rota da raia são inóspitas e agrestes, mas por isso mesmo de uma beleza inspiradora. Três dias chegam, mas não sobram.

Duração: 3 dias

Distância: 200 km aprox.

Percurso recomendado: Segura – Salvaterra do Extremo – Monsanto – Penamacor – Serra da Malcata – Sabugal – Almeida – Figueira de Castelo Rodrigo – Escarigo – Barca d`Alva

 

7 – A transalgarviana, de Aljezur a Alcoutim pelo lombo das serras

Silves
Silves

Um dos segredos mais bem escondidos e guardados de Portugal – o Algarve interior. É uma das mais belas e remotas regiões do nosso país, que se estende por uma faixa de quase 200 quilómetros entre Aljezur – na Costa Atlântica e Alcoutim, na fronteira com Espanha.

Pelo meio pode ir ziguezagueando pela luxuriante e fresca Serra de Monchique, para depois se perder na imensa Serra do Caldeirão, com as suas estradas ondulantes que ligam terras perdidas e de nomes estranhos com barragens azul turquesa. Os cenários, o isolamento e as paisagens são dignos de road movie, e sempre que o calor apertar, pode olhar para o horizonte e ver o mar. O Algarve que conhece, o das praias, está ali a meia hora de distância para um mergulho.

Duração: 3 dias

Distância: 200 km aprox.

Percurso recomendado: Aljezur – Monchique – Silves – S. Bartolomeu Messines – Alte – Salir – Cachopo – Martim Longo – Alcoutim

 

6 – Da Comporta a Sagres, pela costa dos perceves

Porto Covo
Porto Covo

Uma lista de road trips em Portugal sem mar na janela do carro não seria uma lista de road trips em Portugal. Aliás, o impulso das road trips é um impulso de descoberta e aventura, igual ao que o mar convoca ao nosso exíguo povo – exíguo em território, não em curiosidade. O ideal é mesmo fazer um Portugal coast to coast, da foz do rio Minho à Foz do rio Guadiana, mas para isso precisaria de duas semanas bem corridas. Por isso também pode ir dividindo a costa aos bocados.

Copiar, por exemplo, a rota das praias de Ramalho Ortigão (da Póvoa do Varzim a Cascais) ou fazer aquela parte da costa que ainda tem maior apelo para uma road trip – a da costa alentejana e vicentina. Da Comporta a Sagres, passando pelos clássicos das noites de Verão como Lagoa de Santo André e Melides, Porto Covo, Vila Nova de Milfontes, Zambujeira. Na minha modesta opinião, o melhor trecho desta viagem é a costa vicentina – entre Odeceixe e Sagres. A estrada tem aqui momentos de grande beleza cénica que nos leva a praias meio selvagens e espectaculares, a terreolas simpáticas onde se pode comer o melhor dos mariscos da costa portuguesa – os percebes – depois de um bom mergulho no mar.

Duração: 4 dias

Distância: 250 km aprox.

Percurso recomendado: Comporta – Alcácer do Sal – Lagoa de Santo André – Sines – Porto Covo – Vila Nova de Milfontes – Zambujeira – Odeceixe – Aljezur – Carrapateira – Vila do Bispo – Sagres

 

5 – Da Serra da Estrela até ao mar da Figueira

Alvoco da Serra
Alvoco da Serra

A maior serra portuguesa é só por si um destino de eleição para uma road trip de inverno. Podemos andar ali a vadiar durante três ou quatro dias, sempre por estradas e caminhos desconhecidos. Mas a Serra da Estrela é também um bom ponto de partida para uma road trip que atravessa o grande “centrão” do país, oferecendo uma experiência absolutamente única de viagem por serras e lugares remotos que no mapa parecem “ali tão perto”.

Partindo da Guarda até Manteigas, vamos por uma das mais cénicas estradas de Portugal – a do Vale Glaciar de Manteigas – até à Torre. Depois pode descer por Seia ou pela Covilhã, mas a minha sugestão é que aponte o GPS a Arganil e Góis, para sentir que Portugal é bem maior do que pensa. As estradas são assombrosas e as aldeias de xisto como Piodão ou as da Serra da Lousã, autênticas jóias da vida rural portuguesa. Depois da Serra da Lousã pode e deve reencontrar o Mondego em Penacova (se gostar de lampreia é aqui) para ir de braço dado com o rio até Coimbra e daí até à Figueira da Foz para ver o mar.

Duração: 4 dias

Distância: 300 km aprox.

Percurso recomendado: Guarda – Manteigas – Covilhã – Arganil – Lousã – Penacova – Coimbra – Figueira da Foz

 

4 – Da Foz do Guadiana ao alto do Marvão

Estrada Nacional 246-1
Estrada Nacional 246-1

O Baixo Guadiana é uma zona de fronteira com Espanha. Comecemos de braço dado com o rio a partir de Vila Real de Santo António para admirar a beleza dessa zona de transição do Algarve e do Alentejo, bem patente em terras como Castro Marim ou Alcoutim. A partir daí vamos pelo coração do Parque Natural do Guadiana até Mértola para o Alentejo nos entrar na pele e entra.

É uma jornada digna de road movie, para fazer no pico do Verão, porque uma road trip também serve para saber suportar a dureza da viagem, o calor e depois ter a devida recompensa com um mergulho no Alqueva ou uma mini fresca numa qualquer aldeia de estrada. O melhor do Alentejo estende-se por esta rota com aldeias e vilas de beleza extraordinária – como Monsaraz, Vila Viçosa ou o Marvão, esculpido lá no alto de um penedo em mais um Parque Natural que se percorre nesta viagem – depois do Sapal de Castro Marim e do Vale do Guadiana. O grande Alentejo a dois passos da fronteira com Espanha que promete uma viagem única e inesquecível.

Duração: 4 dias

Distância: 350 km aprox.

Percurso recomendado: Vila Real de Santo António – Castro Marim – Alcoutim – Mértola – Serpa- Moura – Alqueva – Reguengos de Monsaraz – Redondo – Vila Viçosa – Elvas – Campo Maior – Portalegre – Marvão

 

3 – De Chaves a Castro Laboreiro, com o Minho no coração

A caminho de Castro Laboreiro
A caminho de Castro Laboreiro

Em Portugal não há penas um “fim do mundo”, há vários. Mas nenhum tão expressivo, misterioso e cénico come este que liga Chaves a Castro Laboreiro, atravessando as terras de Barroso e o imenso Parque Natural Peneda-Gerês. Sempre que possível um desviozinho às belas vilas e cidades do alto Minho só fica bem no seu currículo.

Passagem com paragem obrigatória por Terras de Bouro, Ponte da Barca e Arcos de Valdevez para ir ganhando fôlego às incursões na Peneda-Gerês antes de cumprir a etapa final para beber um alvarinho em Melgaço e subir à inóspita e impressionante Serra de Castro Laboreiro, no extremo Norte de Portugal. Uma viagem única e imperdível ao melhor de Portugal.

Duração: 5 dias

Distância: 350 km aprox.

Percurso recomendado: Chaves – Boticas – Montalegre – Vieira do Minho – Terras de Bouro – Ponte da Barca – Parque Peneda Gerês – Arcos de Valdevez – Melgaço – Castro Laboreiro

 

2 – A lendária Estrada Nacional 2

Chaves
Chaves

A Estrada Nacional 2 está para Portugal como a Road 66 está para os americanos. É uma estrada que atravessa o país de norte a sul, cortando-o ao meio, entre a faixa litoral e a orla interior.

O quilómetro zero é marcado em Chaves e a partir daí vamos pondo o sul na bússola para descobrir como é que um país que não mede mais de 700 quilómetros de altura pode ter tanta e tão diferente coisa para mostrar, contar, encantar e saborear.

A velha Nacional 2 leva-nos a atravessar regiões tão diversas e marcantes como o Douro vinhateiro, o grande “centrão” do país das serras de Aquilino até atravessar o Tejo e acabar o país das curvas e começar o das rectas a partir da Ponte de Sor até Beja, cruzando toda a planície alentejana com o braço a tostar de fora da janela do carro, para depois galgar a fortificação da Serra do Caldeirão e terminar a sua jornada, mais de 700 quilómetros depois, em Faro, onde pode comemorar o fim da aventura com umas belas sardinhas assadas.

Duração: 8 dias

Distância: 1000 km aprox.

Percurso recomendado: Chaves- Peso da Régua – Góis – Pedrogão – Ponte de Sor – Beja – Castro Verde – Faro

 

1 – Rota da Terra Fria Transmontana

turismo rural em Montesinho
Montesinho

A derradeira road trip em Portugal e aquela onde se respira melhor aquela atmosfera de última fronteira e de descoberta de uma das mais desconhecidas regiões do nosso país. Tem a vantagem de ser uma rota marcada e promovida por uma associação de municípios transmontanos, que produzem informação de qualidade para descobrir os tesouros e os segredos mais bem guardados daquela região. Isto ajuda, se tivermos em conta que há locais que nem o Google Maps desconfia.

É uma viagem pela história, pela cultura transmontana, pelo dialecto mirandês e pela forte gastronomia. Partindo de Bragança pode ir de encontro ao Douro internacional e ao planalto mirandês. No Mogadouro inverte a marcha e aponta agulhas para Norte outra vez, mas desta vez pelo interior até chegar a Vinhais, porta de entrada do Parque Natural de Montesinho. Aqui é a apoteose desta viagem única que pode e deve demorar vários dias para poder ir explorando com vagar cada aldeia, cada estrada e cada beleza natural. Terminará a rota em Rio de Onor, a terra metade espanhola e metade portuguesa onde José Saramago, um dia, bebeu um memorável bagaço contado na sua “Viagem a Portugal”.

Duração: 5 dias

Distância: 500 km aprox.

Percurso recomendado: Bragança -Vimioso – Miranda do Douro- Mogadouro – Vinhais – Parque Natural de Montesinho

8 COMENTÁRIOS

  1. Amo Portugal apesar de nunca ter ido lá.
    Meus pais eram portugueses e sinto uma vontade enorme de conhecer essa terra maravilhosa.
    Adoro imagens e videos tudo que se refere à terrinha.
    Deus permita que algum dia pise em solo português.

  2. Sim! Sim! Sim! Farei estas viagens! Ah, se farei… Nasci no Brasil. Aqui cresci, me casei, tive minhas filhas, trabalhei e me reformei. Mas, será em Portugal que viverei o resto dos meus dias. E bem vividos dias, pois não. Portugal será a minha morada eterna!

  3. Já fiz alguns destes roteiros de moto, maravilhoso! Ainda vou fazer os outros. É incrível como um pequeno país pode ter tanta beleza natural, inesquecível…

  4. A Estrada Nacional 222, não passa no Peso da Régua, mas sim no TORRÃO, concelho de Lamego.
    Essa Estrada, em arte alguma pisa o Distrito de Vila Real.
    Para esclarecimento a EN 222, passa nos Distritos de BRAGANÇA, GUARDA, VISEU, AVEIRO e PORTO.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here