Início Cultura Lisboa: o estranho caso do relógio da Rua Augusta

Lisboa: o estranho caso do relógio da Rua Augusta

Umas vezes dá horas, outras vezes não dá... uma vezes adianta-se, outras atrasa-se. E ninguém sabe bem a razão. O estranho caso do relógio da rua Augusta.

7460
0
PARTILHE

Por qualquer motivo que ultrapassa a compreensão humana, o relógio do Arco Triunfal da Rua Augusta avaria constantemente e pára para grande irritação de Cronos, o deus do Tempo.

relógio da Rua Augusta
relógio da Rua Augusta

O relógio foi construído pela empresa “Boa Construtora – Fábrica de Relógios Monumentais”, fundada em Almada em 1930 por Manuel Francisco Cousinha. O aparelho data de 1941, altura em que ainda não tinha corda automática, pelo que necessitava de funcionários que, algumas vezes por semana, lhe dessem corda e o acertassem.

relógio da Rua Augusta
relógio da Rua Augusta

Mais tarde, Manuel Francisco Cousinha, com a alcunha de “engenhocas”, inventou um mecanismo de corda automática que tinha por base o mercúrio. Mesmo assim, por questões climáticas como a humidade e, também, a falta de verbas para a manutenção, o relógio foi-se degradando e, além de parar constantemente, atrasava-se ou adiantava-se.

Arco da Rua Augusta
Arco da Rua Augusta

Aquando da reparação em 2007, foi preciso maquinar a roda maior que tem 120 dentes, ou seja, 30 centímetros de diâmetro, mandando refundi-la para ser refeita, além de se terem corrigido alguns erros de reparação, como o terem-lhe mudado o sistema de transmissão aos ponteiros.

Arco da Rua Augusta
Arco da Rua Augusta

Mas esse não é o primeiro mecanismo de relógio do Arco da Rua Augusta, pois que na sala onde está o de 1941 há também um outro mecanismo de relógio do século XIX, igualmente em fase em restauro. Ele veio do Convento de Jesus, hoje Academia das Ciências, e foi adaptado por Augusto Justiniano de Araújo (Valença, 1843 – Lisboa, 1908), grande relojoeiro português fundador da Escola de Relojoaria da Casa Pia, tendo essa notícia sido dado pelo próprio na revista que fundou nos fins do século XIX, o Cosmocronómetro.

Mais artigos

Turistas brasileiros em Portugal: 16 histórias que parecem piada mas são...

ATENÇÃO: esta publicação serve apenas para ilustrar confusões de comunicação e diferenças culturais. Não tem como objectivo fomentar a discórdia nem provocar conflitos e...

Mais recentes

Pátio do carrasco

12 locais em Portugal que ninguém tem coragem de visitar

12 locais em Portugal que ninguém tem coragem de visitar São locais que o tempo fez cair no esquecimento, abandonados e com fama de assombrados....

REDES SOCIAIS

150,847FãsGostar
240SeguidoresSeguir
656SeguidoresSeguir

Deixe seu Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here